Glossário de termos médicos

Vigilância ativa: modalidade em que o urologista acompanha de perto formas pouco agressivas de câncer de próstata. Através de visitas regulares ao médico, toque retal, níveis de PSA, novas biópsia e outros testes, como a ressonância magnética e marcadores teciduais, podemos identificar de forma precoce se a doença tomou características agressivas que necessitem tratamento imediato.

HPB (Hiperpplasia prostática Benigna): próstata de volume aumentado não relaciodado com o câncer de próstata. Geralmente causa problemas para urinar, uma vez que seu aumento pode diminuir o calibre da uretra.

Biópsia: remoção de amostras de tecido da próstata. Pode ser feito através da porção final do intestino (o reto) ou diretamente através do períneo. Os fragmentos são avaliados em um microscópio para detecar a presença ou não do câncer.

Cistite: infecção da bexiga por germes estranhos que causam inflamação, dor e sensação de ardência ao urinar.

Cistoscopia: passagem de uma microcâmera em forma de tubo através da uretra para avaliar o revestimento interno do sistema urinário (da uretra até a bexiga). Geralmente é feito sob sedação.

Toque Retal ou Exame Digital Retal: faz parte da avaliação física. O urologista introduz o dedo indicador protegido com luva e com gel anestésico e lubrificante, para pesquisar a existência de nodulações na cápsula da próstata. O exame demora menos de 2 minutos e tem a vantagem de poder identificar a doença em estágios iniciais, mesmo quando os níveis de PSA estão dentro da normalidades.

Disfunção erétil: comumente conhecida como impotência sexual representa a dificuldade de iniciar e manter a ereção satisfatória para a penetração.

Imunoterapia: tipo de tratamento que pode aumentar a capacidade de resposta do sistema imunológico contra as células do câncer.

Incontinência: perda urinária involuntária. Há vários tipos: de esforço, transbordamento, urgência, mista e continua.

Terapia hormonal: uso de medicações que diminuem os níveis ou bloqueiam a ação da testosterona. Com isso, podemos bloquear ou diminuir a velocidade de crescimento das células do câncer.

Cirurgia Laparoscópica: cirurgia feita através de pequenos orifícios na pele, através dos quais pinças reproduzem os movimentos da mão do cirurgião.

 

(11) 3255 4990
(11) 3258 5666
urocare@urocare.com.br

 

Rua Frei Caneca, 558 - Sala 1201
01307-000 | São Paulo – SP
Estacionamento – Valet